Endereço:

Rua Professor Antônia Reginato Vianna, 921Capão de Imbuia - Curitiba -PR                                                

Telefones:

(41) 3029-2210 

41) 9996-1602

Email:

  • Facebook
  • Instagram

Mídias:

Entre em contato através do formulário abaixo:

© Cegin Curitiba todos os direitos reservados - Desenvolvido por Anjos Consultoria (61) 99867-1926

CEGIN terá Flávia Paesano e Josy Calixto, da categoria infantil, no Sul-Americano de Lima

   Ginastas de 11 anos vão se apresentar na qualificação dos quatro aparelhos, na competição do Peru, nesta sexta-feira (19/10); sábado (20/10) tem a disputa da categoria juvenil.
   Flávia Paesano e Josiany Calixto da Silva são as ginastas do CEGIN - Centro de Excelência de Ginástica do Paraná -, em Curitiba, na disputa da categoria infantil do Sul-Americano em Lima, Peru. As duas competem a qualificação nesta sexta-feira (19/10/2018) - a final da categoria será no sábado (20/10). São meninas bem novas, de 11 anos, mas com chances de pódio para o Brasil na faixa etária.
   "Elas são boas em todos os aparelhos", afirma Caroline Molinari, ex-ginasta e técnica das pequenas no CEGIN, que tem como espelho a ginasta Thais Fidélis, quarta colocada no solo no Mundial de Montreal, em 2017, e que está na seleção que disputa o Mundial de Doha, no Catar, a partir de 25 de outubro. O CEGIN ainda tem mais duas atletas na seleção brasileira. Julia Soares e Ana Luiza Lima competem na categoria juvenil (as disputas serão sábado e domingo,20 e 21/10). 
   Para as ginastas do infantil as séries são padrão - todas as atletas devem cumprir movimentos obrigatórios nos quatro aparelhos (barras paralelas assimétricas, salto, trave e solo). “Tem de fazer tudo perfeito, limpo. No solo, conta muito a sincronia dos movimentos com a música”, observa Carol Molinari. "O que vai diferenciar uma ginasta da outra será a execução".
   No último Campeonato Brasileiro Infantil, realizado em junho, em São Bernardo do Campo (SP), Josy ficou com a medalha de bronze no Individual geral e Flávia Paesano foi 7ª colocada.
 
   Conheça mais as jovens ginastas da categoria infantil do CEGIN:
   Perfil - Flavia Assumpção Paesano
   Local e data de nascimento: Curitiba (PR), em 18/5/2007 Flavia começou na ginástica rítmica, com 4 anos, no Clube Paraná. Ficou três anos na modalidade, mas não estava "gostando muito" quando os pais Piero e Ivelise perguntaram o que queria fazer e escolheu a ginástica artística. Passou apenas no segundo teste que fez no CEGIN para a escolinha, mas foi vista pela técnica Carol Molinari e passou a treinar nas categorias de base. No Brasileiro Infantil de 2017 ganhou ouro no solo, ouro por equipe, bronze na trave e nas paralelas. 
   "Eu não tinha muita expectativa, mas foi muito boa a sensação e agora eu vou tentar chegar até o meu sonho olímpico em 2024", diz Flavia, que é fã da xará de Flávia Saraiva, finalista olímpica adulta (5ª na trave nos Jogos do Rio/2016) e medalhista olímpica da juventude. "Treinei junto com a Flávia antes da Olimpíada e ela pediu uma foto comigo. Puxa, não era eu que tinha de pedir?", conta Flávia, que cursa a 6ª série no Colégio Madalena Sofia. 
 
   Perfil - Josiany Calixto da Silva
   Local e data de nascimento: Santo Antônio da Platina (PR), 1/8/2007 Josy fazia taekwondo numa escola em Jacarezinho (PR) quando foi indicada para a ginástica por sua flexibilidade. Praticava ginástica há apenas quatro meses quando participou de um festival regional no CEGIN. "A Iryna (Ilyashenko, técnica chefe do CEGIN) disse que eu tinha 15 dias para vir para cá fazer um teste", conta.
   A mãe Terezinha concordou, Josy fez o teste, passou, e começou a integrar o grupo da técnica Carol Molinari, que cuida do desenvolvimento das ginastas das categorias pré-infantil e infantil. "Minha mãe fica comigo em Curitiba", comenta Josy, que cursa a sexta série do Colégio Estillo, é fã da norte-americana Simone Biles, e tem a trave como seu aparelho favorito.
   O Centro de Excelência de Ginástica do Paraná tem o apoio dos incentivadores Portonave, Fertipar, Elejor, Caminhos do Paraná e Blount, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, do Ministério do Esporte, e da SMELJ, Prefeitura de Curitiba.